Pitaya vira opção de cultivo para grandes e pequenos produtores

Pitaya do Brasil na Expoagro Afubra
março 12, 2018
Pitaya do Brasil participou da organização do 1º Encontro Nacional de Produtores de Pitaya
março 20, 2019

Especialista na área falou sobre o cultivo e deu dicas para interessados durante palestra na casa da Agptea na Expointer

Em palestra na Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea) durante a Expointer, o professor da Universidade Federal de Pelotas (UfPel) e engenheiro agrônomo, Djalma Nolasco Prestes, falou das vantagens do plantio da Pitaya que tem sua origem na floresta tropical, nas Américas Central e do Sul, mas hoje o país que lidera a produção mundial é a Índia. Com bom cuidado, principalmente no início do cultivo, a dedicação do produtor dá melhores efeitos do que qualquer adubo, segundo ele. O segredo é plantar de forma correta, cuidando detalhes, fazer as podas necessárias e permitir boa oxigenação das raízes, pois são elas que vão buscar os nutrientes necessários e no caso da Pitaya, as raízes ficam em parte expostas. A planta responde com rapidez ao bom trato e pode durar até 20 anos. É possível chegar a 40 toneladas por hectare da fruta. A planta gosta de sombra e água fresca em temperatura controlada, pois originalmente cresce em rochas e árvores. Para fazer o plantio controlado em estacas, o material deve ser forte e resistente, nada de bambu, segundo o professor Djalma, pois são três mudas por palanque e ela deve crescer até 1,40 metros. É neste ponto que o produtor deve fazer a primeira poda, cortando a ponta para indicar que não deve mais crescer e sim aumentar suas raízes para produzir os frutos. São cerca de três anos de colheita farta até colocar as novas mudas. Se não realizar esta primeira poda que determina a altura, ela vai dar no primeiro ano e nos próximos vai atrasar sua produção. “Não é plantando para ver, é estudar para plantar”, observa. Para o professor universitário, conhecer todos os detalhes da planta e da fruta vão determinar o sucesso do cultivo. Então, deu algumas dicas básicas durante a palestra. A primeira é a análise do solo, depois a correção do pH que deve estar acima de 6,0 porque é preciso elevar os nutrientes do solo em nível alto, logo vem a fixação dos palanques. A matéria orgânica que deve ser colocada é dez quilos em cada palanque e as mudas colocadas na vertical com a ponta que vai ser enterrada previamente seca para que não acumule fungos na parte suculenta. Muita atenção com o espaçamento, pois o sol é fundamental para a doçura da fruta e o desenvolvimento com força de toda a planta. A Pitaya tem tido uma demanda grande e a tendência é aumentar. É de fácil cultivo, se bem tratada e pode substituir em pouco tempo outras culturas, como o fumo, por exemplo. Quem está plantando está satisfeito de acordo com o especialista. Da fruta são feitos vários produtos que já estão no mercado, de acordo com o sabor e a cor da pitaya, como geleias, sorvetes, bebidas, sucos, cosméticos e até cerveja. Ela é rica em nutrientes como poucas frutas oferecidas no mercado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
16 × 3 =